sábado, 28 de março de 2009

Afinal, havia outro...


"Afinal, havia outro... Fritzl

Italiano violou e raptou filha durante 25 anos

Havia um novo monstro à solta, mas desta vez em Itália. Um homem foi preso, em Turim, por ter sequestrado e violado a sua filha durante 25 anos

A filha, agora com 34 anos de idade, estava fechada numa sala sem ver a luz do sol desde os 13 anos. Depois de a ter obrigado a abandonar a escola o pai impôs-lhe, ainda, uma proibição... não sair de casa sem estar acompanhada por ele ou pelo irmão.
Como se já não bastassem as atrocidades que cometeu ao longo de 25 anos, este homem fez, ainda, questão de ir incitando o seu filho, de 40 anos, a fazer o mesmo com as suas quatro filhas, com idades entre os 6 e os 20 anos. Resultado: este também acabou detido por suspeita de violação."

Fonte:SIC/Visão.pt, 16:01 Sexta-feira, 27 de Mar de 2009

Comentário:
Na minha opinião, estes dois casos configuram aquilo a que os especialistas chamam Sociopatas.

Este distúrbio da personalidade é chamado em França "insanité sans délire" (insanidade sem delírio) e na Alemanha "insanidade moral".
O termo descreve indivíduos com marcado egocentrismo que não têm deferência normal pelas outras pessoas, manipulando-as para atingir seus objectivos.
As suas armas tanto podem ser o charme e a sedução, como a intimidação e a violência, usadas progressivamente, de modo cada vez menos subtil, no caso de as outras pessoas não se comportarem da maneira como o sociopata quer.
Existem graus muito variados de distúrbio de personalidade, que vão desde a pessoa considerada apenas "chata", "inconveniente", "patologicamente egocêntrica", até os casos de violadores e assassinos em série, passando por viciados, traficantes e sequestradores, todos eles muito pouco preocupados com o bem-estar da sociedade.
Algumas pessoas consideram, erroneamente, este distúrbio de personalidade apenas como doença, quando, na verdade, ele é bem mais próximo do conceito mais puro de "crime", pois o sociopata tem plena consciência e entendimento dos erros que comete.
Os filhos dos sociopatas são as suas maiores vítimas, condenados a uma vida de sofrimento, violência, privação e punição injustificada e continuada.
Paradoxalmente, ao mesmo tempo, esses pais sociopatas são capazes de exibir, para a sociedade, uma perfeita imagem de pais dedicados e zelosos para com seus filhos, assim como de bons e pacatos cidadãos, exemplarmente cumpridores.
Toda esta falsa imagem tem sido descrita como socialmente convincente, sendo os mais hábeis capazes até de enganar juízes experimentados.
Do meu ponto de vista os dois casos, tanto o de Josef Fritzl, como o deste italiano encaixam perfeitamente neste quadro comportamental e representam um enorme perigo social e familiar.


Ilustração: Gustavo Fernandes-Liberdade contida

Sem comentários:

Enviar um comentário