segunda-feira, 16 de março de 2009

Last Chance Harvey


Em Londres para assistir ao casamento da sua filha, Harvey Shine, sozinho, perde ao mesmo tempo o avião de regresso a Nova York e o emprego de compositor de jingles.
Enquanto tenta afogar as mágoas no pub do aeroporto, encontra Kate, uma hospedeira de terra, que tenta sobreviver entre uma mãe obsessiva que lhe telefona vezes sem conta e uma série de encontros infelizes.
Uma rápida conexão se estabelece entre o par, que, por via da infelicidade e da solidão, acaba por passar uma noite inteira caminhando por Londres e conversando, como um casal apaixonado.
O filme é previsível e sentimental, mas credível, já que retrata com sensibilidade e mestria uma situação que pode perfeitamente acontecer na vida real.
A realização e o argumento são de Joel Hopkins, que consegue uma história de amor tocante sem ser lamechas, sobre o abandono, a perda e a solidão, conseguindo transmitir no fundo a ideia de que nunca é tarde para recomeçar e de que, quando menos se espera, pode encontrar-se uma soul-mate.
As interpretações são de Dustin Hoffman, já maduro mas sempre magnífico e de Emma Thompson, actriz que nos habituou a um alto padrão de interpretação desde as adaptações dos romances de peso de Jane Austen.
E, se mais argumentos não houvesse, o passeio pela maravilhosa Londres já valeria a pena.

Sem comentários:

Enviar um comentário