terça-feira, 17 de março de 2009

A Rainha das griffes “tem um olhar tremendo!”


A Rainha da Jordânia Rania Al Abdullah, foi distinguida com o prémio Norte-Sul, que pretende reforçar a defesa dos direitos humanos e diálogo inter-cultural. O prémio, entregue na Assembleia da República, foi igualmente atribuído ao ex-presidente da República Portuguesa, Jorge Sampaio.
A mulher que nasceu na Palestina e vive na Jordânia tornou-se num ícone da moda e numa marca de sucesso no Médio Oriente, pois, segundo a RTP1, Rania “é mais alta e mais magra que a maioria das modelos.” Ela converteu-se na imagem de referência das mulheres muçulmanas e tem aparecido em variadíssimas capas de revistas de moda.
Símbolo de independência e de beleza, Rania é também para as objectivas dos fotógrafos a imagem que fica: “ela tem um charme fantástico e um olhar tremendo! Ela olha com muita força, o que não é muito normal numa mulher muçulmana”, disse um fotógrafo de moda à mesma estação de televisão.
“Rania tem gosto pelas griffes e usa a moda para comunicar”; “ela transmite outra imagem da mulher árabe”; “quer quebrar barreiras e estereótipos”, e “tem uma personalidade extremamente forte”, são ainda outras declarações proferidas na reportagem da RTP1.

Apraz-me ver uma mulher muçulmana com instrução superior, capaz de falar em público, ter uma vida activa na sociedade onde vive, ser politicamente interventiva e um ser humano com direitos de expressão iguais aos dos homens.
E isto ainda é muito mais agradável se essa mulher for bonita!
Mas, quantas mulheres lindíssimas não haverá escondidas por detrás das burkas do Islão?
Até quando teremos de ver continuamente negados os direitos mais elementares de SER a tantas mulheres do mundo árabe?

Nota de última hora: a rainha Rania visitou hoje uma Escola no Concelho da Amadora, onde teve oportunidade de assistir a peças de música interpretadas pelos alunos.

Sem comentários:

Enviar um comentário