sexta-feira, 27 de março de 2009

Revista "Lancet" quer que Papa se retracte das declarações sobre o uso do preservativo


"A revista "Lancet", uma das mais conceituadas publicações médicas do mundo, acusou o Papa de ter distorcido as provas científicas sobre o uso dos preservativos, exigindo mesmo que Bento XVI se retracte das polémicas declarações proferidas durante a visita que fez a África na semana passada.

Ao iniciar o périplo pelo continente africano, Bento XVI sustentara que a “tragédia [da sida] não pode ser vencida apenas com dinheiro, nem pode ser vencida com a distribuição de preservativos que podem até aumentar o problema”. Na edição de hoje, a revista "The Lancet", em editorial, denuncia que o Papa “distorceu publicamente os dados científicos com o propósito de promover a doutrina da Igreja sobre este assunto”.

“Não é claro se o erro do Papa se deveu à ignorância ou a uma tentativa deliberada de manipular a ciência”, avaliava a publicação, acusando ainda o Vaticano de “tentar dar a volta às palavras do Papa, alterando ainda mais a verdade”.

Por isso, a revista médica quer de Bento XVI uma correcção pública da polémica afirmação: “Quando uma pessoa com tal influência, seja uma figura religiosa ou política, faz uma declaração científica falsa que pode ter consequências devastadoras, deve retractar-se ou corrigir publicamente aquilo que foi dito. Menos do que isso vindo do Papa seria um péssimo serviço ao público".

Público.Pt, 27.03.2009 - 09h36 AFP

1 comentário: